CONSULTORIA DE ROTEIRO

COM PAULO CALDAS

Paulo Caldas é diretor, roteirista e produtor.

Nascido na Paraíba, começou a carreira em Pernambuco fazendo curtas-metragens. Em 1981, dirigiu e escreveu seu primeiro trabalho: Frustrações. Fez mais sete curtas, entre eles: Morte no Capibaribe (1983), Nem tudo são flores(1985), Chá (1987) – prêmio Embrafilme para produção de curta-metragem –, e Ópera cólera (1992).

 
 

Estreou na direção de longas-metragens em 1997 quando escreveu Baile perfumado (1996), com Lirio Ferreira e Hilton Lacerda, que codirigiu com Lírio Ferreira. O filme foi vencedor do Festival de Brasília. Com uma linguagem ousada, o filme foi um dos títulos mais elogiados da primeira safra da retomada do cinema brasileiro. Participou de inúmeros festivais, como TIFF - Toronto International Film Festival.

Em 2000, foi o único representante brasileiro no Festival de Cinema de Veneza, com o documentário O Rap do Pequeno Príncipe contra as Almas Sebosas (2000), escrito com Fred Jordão e Marcelo Luna, que codirigiu com Marcelo Luna. O filme também levou prêmios de público no Festival de Brasília e no É Tudo Verdade - Festival Internacional de Documentários.

Dirige o DVD musical Quintal do Semba (2002), uma produção da Maianga Filmes, filmado em Angola, e o telefilme documental Sons da Bahia (2002), codirigido com Lula Buarque de Hollanda, que é uma produção da Conspiração Filmes para o GNT.

Seu terceiro longa, primeira ficção dirigida solo, Deserto feliz (2007) estreiou na Berlinale - Internationale Filmfestspiele Berlin, na mostra Panorama Special. No FICG - Festival Internacional de Cine en Guadalajara, levou prêmio de melhor direção. No Festival Internacional de Cinema de Gramado levou vários prêmios, incluindo da crítica, de melhor diretor e de melhor filme do júri popular no Festival de Gramado.

Escreveu o média metragem LUA (2011) com Giovanni Soares, filme que também dirige é uma das obras de artes visuais permanentes do Museu Cais do Sertão, em Recife, Pernambuco

País do Desejo (2013), escrito com Pedro Severien e Amin Stepple é seu quarto longa, que estreou no Taormina Film Fest, na Itália, e fez parte da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Escreve o roteiro de Paixão e Luta (2017), com Thiago Iacocca, um telefilme documental para a TV, produção da Academia de Filmes que dirigiu para o canal Combate.

Em 2017 escreve o roteiro do longa documental Flores do Cárcere, com Bárbara Cunha, uma adaptação do livro homônimo de Flavia Ribeiro de Castro. O projeto está em fase de produção na Academia de Filmes.

Seu quinto longa, o documentário SAUDADE (2018), foi escrito com Giovanni Soares, estreou na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, circulou em festivais, como Festival de Málaga, e ganhou prêmio de melhor documentário no FESTin Lisboa.

O documentário Abismo Tropical (2019) é seu sexto longa, finalizado em janeiro, e inicia sua carreira em festivais.

Prepara sua próxima ficção, Sertão Mar (2019), seu sétimo longa-metragem, atualemente em fase de pré-produção. 

Também escreveu o roteiro de Cinema, aspirinas e urubus (2005), em parceria com Marcelo Gomes e Karim Aïnouz, dirigido por Gomes. O longa fez parte da seleção oficial d’Un Certain Regard no Festival de Cannes. Também escreve em parceria com Lírio Ferreira e Marcelo Gomes o longa ficcional Acqua Movie, dirigido por Lírio Ferreira, a ser lançado em 2019. Além de escrever Equinócio, o novo longa de Camilo Cavalcante, em parceria com o diretor.

Também escreveu os roteiros da série infantil para TV Borboletas e Sereias, com Bárbara Cunha e Vanessa Fort e da série documental de gastronomia Comida é Arte: Terroir Brasil, em parceria com Giovanni Soares.

 
 
 

AGENDE SUA CONSULTORIA

Para maiores informações, valores, prazos, agendamento, escreve para a gente!

pcconsultoriaroteiro@gmail.com